Atuação

AMBIEL, MANSSUR, BELFIORE & MALTA Advogados atua, dentre outros, em segmentos jurídicos de forte impacto para a consolidação dos modelos de produção da economia criativa, suas relações comerciais e pessoais. O Direito Trabalhista, Tributário, Societário, Contratos, Digital, Administrativo e Regulatório, além da destacada atuação no Direito Desportivo, estão entre as especialidades do escritório que pauta sua atuação na formação de um corpo técnico capaz de compreender os desafios e oportunidades desse novo momento. Além das áreas acima, o escritório também tem atuação destacada na soluções de controvérsias de diversas naturezas, seja mediante a atuação em processos judiciais e administrativos, seja por meio da participação em mecanismos alternativos de solução de conflitos, como a Mediação e a Arbitragem. No texto abaixo AMBIEL, MANSSUR, BELFIORE & MALTA Advogados exploram a variada gama de segmentos atendidos pelas competências do Direito, listadas acima.

 

A Economia Criativa é um laboratório para a criação, inovação, invenção e reinvenção dos cenários e das condições existentes. AMBIEL, MANSSUR, BELFIORE & MALTA Advogados identifica que esse fenômeno ocorre também em outros importantes segmentos da economia brasileira e mundial e que essa transformação dos modelos de negócios impacta as relações profissionais, as negociações comerciais e as soluções dos conflitos.

Por esse motivo é que o escritório se dedicou nos últimos anos ao aprofundamento do estudo para o entendimento dos impactos dessa nova realidade nas empresas dos mais diversos segmentos econômicos e sua transversalidade com as áreas do direito tradicionalmente demandadas pelos clientes nas consultas formuladas e nos conflitos por ele vivenciados.

O movimento maker, responsável por criar a cultura maker, rompe a fronteira do experimental, invade a educação nas salas de aula e se lança para o mundo corporativo como alternativa para formar uma nova sociedade. Uma “nova revolução industrial”, como afirma Chris Anderson, autor do livro “Makers: A Nova Revolução Industrial”, ou um “tipo de Renascença”, como prefere Dale Dougherty, responsável por popularizar o termo. Em ambas as definições, AMBIEL, MANSSUR, BELFIORE & MALTA Advogados reconhece que a organização da sociedade, dos meios de produção e a geração de riquezas não estão mais circunscritos aos padrões reconhecidos, exigindo do escritório de advocacia competências e disciplinas complementares.

Também há de se considerar o avanço da Internet of Things (IoT) ou Internet of Everything (IoE) como inovações que estão revolucionando diversas indústrias. O Instituto Gartner estima que em 2020 20,8 bilhões de coisas estarão conectadas, enquanto a consultoria McKinsey aponta o potencial impacto econômico da IoT como sendo em torno de US$ 11 trilhões por ano em 2025.

Essas constantes “revoluções” que vem ocorrendo nos últimos anos tem levado estudiosos a designar o presente momento como a 4ª Revolução Industrial, “marcada pela convergência de tecnologias digitais, físicas e biológicas”, nos dizeres de Klaus Schwab, autor do livro “A Quarta Revolução Industrial”. No âmbito do desenvolvimento dessa Indústria 4.0, que atinge a todos indistintamente, novas indústrias passam a ganhar relevo. Não é possível negar, por exemplo, a realidade dos games como uma dessas poderosas indústrias, considerada a maior entre as áreas do entretenimento no mundo, maior que o cinema e capaz de auxiliar e fomentar o desenvolvimento inclusivo e sustentável.

A arquitetura, a moda, a mídia e a propaganda também são fortemente impactadas pelo contexto acima e estão no radar do AMBIEL, MANSSUR, BELFIORE & MALTA Advogados como atividades do conhecimento humano propensas a enfrentar os novos tempos por meio de novos modelos.

As Cidades Criativas fundamentadas em inovação, conexão e cultura são realidade pesquisada desde o final da década passada e hoje mobilizam os gestores públicos e cidadãos. O Plano Nacional de Cultura, na primeira década dos anos 2000, foi inclusivo ao caracterizar a moda como manifestação cultural que, além dos aspectos tecnológicos e mercadológicos aproxima-se do campo da produção de significados, assim como a mídia e a propaganda, indústrias que emprega mais de 500 mil trabalhadores e representam aproximadamente 1,5% do PIB nacional.

Se o esporte foi um importante pilar na construção do escritório e hoje ainda ocupa papel de destaque na operação, a ampliação da atuação para outros segmentos econômicos foi o caminho natural derivado da identificação das exigências complexas impostas pela sociedade do conhecimento, com ênfase maior à criatividade e à inovação, o verdadeiro propulsor do crescimento, destacando novamente o indivíduo como o verdadeiro motor da economia e da sociedade.

Citando uma vez mais Klaus Schwab e sua obra “A Quarta Revolução Industrial”, “estamos a bordo de uma revolução tecnológica que transformará fundamentalmente a forma como vivemos, trabalhamos e nos relacionamos. Em sua escala, alcance e complexidade, a transformação será diferente de qualquer coisa que o ser humano tenha experimentado antes”.

Evidentemente, a advocacia não está imune às transformações acima destacadas, sendo missão do advogado, no atual contexto, atuar não apenas na consecução de suas importantes e tradicionais atividades, mas também vivenciar, de forma holística e transversal, todos os aspectos e interfaces relevantes aos negócios de seus clientes.